Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 07/17/2019 in all areas

  1. 4 points
    Olá pessoal... Ultimamente tenho observado pessoas que querem adquirir Calopsitas... Em apenas uma semana ouvi relatos de três pessoas que se diziam interessadas e ao serem questionadas do porquê querem esse animal, falaram que viram na internet calopsitas cantando e falando, souberam que é muito apegada ao dono, enfim... se apaixonaram, mas percebi que não tinham noção de como esse animal torna-se dependente do dono e como precisa de um tratamento diferenciado de outros animais domésticos. Foi então que decidi comentar um pouco do meu dia-a-dia com minhas duas calopsitas: - O quanto são sensíveis. Não podem ser criadas soltas, asas precisam ser aparadas; - Precisam de muito carinho e atenção; - Precisam de rotina e dedicação por parte do dono para que aprendam a cantar, falar... - Gaiola precisa ser higienizada diariamente. Precisam de banho... - Geralmente são barulhentas, na primavera então nem se fala, nem pensar em dormir até mais tarde (tenho dois e são bem barulhentos); - Podem ter pânico noturno; - No menor sinal de doença precisam ser levadas ao veterinário e uma consulta não é barato; - Se o dono viajar não pode deixa-la sozinha em casa, o melhor a fazer é levar junto ou deixar com alguém de extrema confiança, de preferência que tenha experiência com aves. Se optar por levar junto dependendo do local vai precisar de um atestado de saúde de um veterinário. - Vivem mais do que um cachorro ou gato; - Se sentem a falta de uma pessoa da família que possa ter viajado chegam a ficar doentes... etc... etc... Assim que ouviram meu relato que inclusive acabou com o comentário de que eu não terei mais calopsitas devido a responsabilidade, ficaram pensativas. Enfim, esse post tem a intenção de fazer com que proprietários de calopsitas tenham o cuidado de não incentivar a comercialização desses animais. Acredito que muitas pessoas que compram não tem a menor ideia de como eles são frágeis e precisam de cuidados, eu mesma não tinha ideia e depois de muitos erros e ainda aprendendo muito, não desejo mais ter calopsitas e olha que os amo muito. Além disso, não é raro ouvir de pais que compram uma calopsita de presente de aniversário para uma criança de 2, 5, anos, como se fossem brinquedos... aí poucos dias depois acontece algum acidente e procuram o blog para pedir opinião do que fazer... é triste! Sem contar que em pet shop e muitas agropecuárias os animais são tratados como mera mercadoria, inclusive aqui no blog já vi relatos de pessoas que acabaram comprando calopsitas mais velhas, ariscas e até mesmo doentes pois não aguentaram ver a forma como estavam sendo tratadas apenas como reprodutoras. Sei que aqui nesse blog tem pessoas que criam calopsitas para vender, não julgo, não é minha intenção difamar nada, apenas deixar claro que quem adquire deveria ter o mínimo de informação antes de decidir por comprar ou adotar um anjinho desses. Enfim... escrevi apenas com o intuito de chamar atenção para que possamos repensar a forma como estamos propagandeando esses anjinhos, (deixando claro que eu me incluo nisso). Se por um acaso mostrar uma foto ou vídeo com as qualidades da sua ave, acho importante enfatizar os cuidados que diariamente tem com ela. Me corta o coração saber que muitos são tratados como mercadorias, objetos. Não indico pra ninguém a compra de uma calopsita. Espero ter me expressado corretamente. Ninha*
  2. 3 points
    Sim, ele porta, pelo menos, pérola, canela, lutino e arlequim. Sem saber o que a lutino cara branca (albina) porta, podem nascer: machos: lutinos e silvestres fêmeas: canelas, silvestres, lutinos e pérolas (ou fêmeas com algumas combinações dessas mutações). Ele pode também portar cara branca, se a mãe ou o pai portarem. Aí, nesse caso, nascem "albinas".
  3. 3 points
    Eu estava pensando em juntar os dois e deixar. Não separar e nem ter filhotes. A saúde deles para mim é o mais importante! Filhotes eu posso esperar quando tiver a oportunidade de ter um novo casal. Obrigado @Ninha,@Nascimento, @CARONE e @Malu!
  4. 3 points
    Olá @Alexsandro boaroli Veja: Ao contrário dos seres humanos, as aves enxergam os raios UV que fazem parte da luz natural do sol. Elas utilizam os raios UV para a alimentação e para a reprodução.Uma ave em ambiente doméstico pode ficar privada da radiação UV. Os raios UV da luz do sol que entra pela janela são eliminados por vidros e cortinas. Além disso, as fontes normais de iluminação doméstica não emitem UV. A vida sem os raios UV para as aves seria como se os seres humanos vissem tudo a preto e branco ou pior. Sem UV algumas espécies de aves não conseguem diferenciar o sexo. Exemplos: As penas das aves refletem os raios UV. Esta reflexão da plumagem desempenha um papel na seleção sexual das aves. As aves de cores escuras (ex: pássaro preto), que para os olhos humanos são negros, aparecerem aos olhos das aves com várias cores. Acontece o mesmo com as aves de cores brancas. A percepção UV desempenha um papel significativo na seleção da comida. Alimentos com os raios UV ficam ainda mais chamativos aos olhos dos pássaros como os vermelhos são mais vermelhos e os verdes são mais verdes. Uma ave relutante a comer precisa dos raios UVA para estimular o seu apetite. A saúde dos pássaros X raios UV Sem uma fonte equilibrada de luz, o ciclo oculo-endócrino (luz para a glândula pineal e para a glândula pituitária) é afetado, alterando todos os aspectos da vida da ave. Uma iluminação inadequada pode provocar agitação, enfraquecimento, problemas respiratórios e metabólicos. As aves necessitam da vitamina D3 para um desenvolvimento saudável do esqueleto, para isso os raios UVB são necessários para sintetizar a vitamina D3. Muitas espécies podem sintetizar a vitamina D3 da luz solar através da pele. Como a pele das aves está coberta com penas, elas não podem utilizar a própria pele para o fazer. Na maioria das aves, a glândula uropigial (impermeabilizante para as penas) recolhe a pré-D3 do sangue, e acumulando-a nos óleos glandulares. Estes são depois expostos á radiação UVB quando a ave se limpa e cuida da plumagem. Mais tarde a ave ingere materiais expostos aos UV quando volta a limpar e a cuidar da sua plumagem, e o óleo entra no organismo como pré-vitamina D, sendo transformado em vitamina D3 pelo fígado e os rins. Lâmpadas para pássaros Na falta da luz natural existe a necessidade de adicionar a radiação UV artificial, encontrada em lâmpadas especiais para aves. Essas lâmpadas emitem raios de UVA e UVB suprindo as necessidades dos pássaros em cativo desde que usadas corretamente (ex: respeitando o período de luz diária). Alguns criadores devido à grande quantidade de pássaros em seu plantel, fica difícil colocá-los para tomar sol todos os dias, daí a importância de investir em uma boa iluminação. Existem algumas lâmpadas UV que não podem ser usadas para os pássaros: As lâmpadas de iluminação doméstica não produzem raios UV e a maioria das lâmpadas domésticas inibem a cor natural da visão da ave. Lâmpadas utilizadas para répteis podem causar cataratas e as usadas em aquários não apresentam uma relação correta de vermelho/azul e também devem ser evitadas. (elas possuem raios UVB elevados). Como deve ser o banho de sol? Devemos dar a preferência pelo período da manhã, entre 8h e 9h. Uma saturação do tempo em exposição ao sol causa aos pássaros os seguintes sintomas: Abertura do bico, aceleração do ritmo cardíaco, abertura dos ombros em relação ao corpo e desidratação. Para maior segurança, coloque sobre a gaiola ou viveiro, um pano ou um papelão que cubra uma parte da área, oferecendo sombra, pois o pássaro saberá melhor do que nós a hora de abrigar-se. Lembrando de trocar a água de bebida após o banho de sol. Fonte: http://www.acpsi.com.br/noticias/a-importancia-do-banho-de-sol-aos-passaros-84.html Eu particularmente não arriscaria uma criação sem sol. Acho que mesmo com instalação de lampadas você deveria levar suas aves pegar sol semanalmente para fortalecer o sistema imunológico. Mais experientes poderão opinar melhor. Ninha*
  5. 3 points
    Nunca me interessei por aves, principalmente calopsita ( falta de informação).. Pois bem, moro em apartamento e tenho um filho de 6 anos, não podemos ter gato, cachorro pois acho que eles precisam de muuuito espaço, quintal... Aí começa essa história de amor Ganhei uma calopsita, a minha Flora e desde então estou apaixonada por ela. Sabe, eu tenho depressão e esses dias estou com uma crise muito prolongada. E pra minha surpresa a Flora tem sido minha amiguinha, passo o dia pesquisando, entendendo como cuidar dela. Ela por sua vez é tão carinhosa e meiga tem me dado muita alegria. Agradeço a Jeová pela forma linda que ele fez suas criações. Seres inteligentes, belíssimos, engraçados.. A Flora foi um presente e tem iluminado meus dias nublados. Que encanto! São tão inocentes e só querem amar e ser amados. Com ela tenho passado dias mais felizes.
  6. 3 points
    Uau, sua mistura ficou linda @Nascimento, estou encantada pela dedicação. Aqui na minha cidade não se vende alimentos específicos pra pombos porque não costuma ocorrer com frequência a criação desses animais. O pior disso é que a maioria das pessoas que os compra acaba oferecendo só quirela e painço ou ás vezes nem isso. Eu mesma iniciei minha criação oferecendo esse tipo de alimento porque era o que estavam acostumados a comer durante toda a vida deles. Felizmente essas aves são de fácil manejo e consegui rapidamente modificar e acrescentar na alimentação. Diferente das calopsitas que necessitam de insistência, os pombos só de ver comida diferente já ficam todos assanhados querendo comer, o que ajudou muito no processo de adaptação de novos alimentos. Hoje em dia eles gostam tanto da comida que não tem um grão sequer desperdiçado no fundo da gaiola e comem com vontade, diferente de quando tinham aquela alimentação pobre de quando chegaram na minha casa. É muito gratificante ver que nossos filhos de penas estão contentes e satisfeitos. Então sua atitude de compartilhar a dieta das suas calopsitas e dicas de manejo é muito válida, principalmente pros novos integrantes do clube.
  7. 2 points
    Olá, ela está defendendo o "ninho". Está pensando que as blusas são ninhos, eu tenho três aves de espécies diferentes com o mesmo comportamento. Se ela fica solta pela casa é melhor vc tomar cuidado. Já vou avisar antes de acontecer: Lugar de aves domésticas é em viveiros. Só soltar quando for interagir, pra evitar acidente. Ok?!
  8. 2 points
    reforcei um pouco a alimentação, estou medicando e a partir de sábado vou começar a dar uma alimentação mais completa pra tentar ajustar todos os nutrientes o mais rápido possível. obrigado pela tabela!
  9. 2 points
    @SAM 3 Olha é muita manha
  10. 2 points
    Pela manhã os pássaros estão mais famintos...inclusive os gaviões! Acho melhor alimentá-lo bastante e soltar pela metade do dia...pra dar tempo pra ele encontrar um abrigo pra noite!
  11. 2 points
    Os tópicos do fórum sempre apareceram como resultado das minhas buscas sobre aves. Antes eu entrava só pra ler os tópicos, mas depois que eu comecei a sentir que podia eu mesma responder algumas perguntas, resolvi me cadastrar pra tentar ajudar quem tá começando a criação.
  12. 2 points
    Final do passado um filhote de rolinha recém-nascido caiu bem na área de casa. Sorte que eu tava lá fora e vi ele cair, peguei ele e cuidei, devia ter uns 3 dias no máximo. Fui pesquisando sobre o que fazer, como alimentar, aquecer, depois pesquisei sobre possíveis doenças e quando pesquisei sobre os excrementos me apareceu um tópico aqui do fórum. Assim conheci o clube e adorei, me ajudou muito na hora de cuidar daquele filhotinho e ainda me ajuda depois que adquiri meus próprios filhos de penas.
  13. 2 points
    Bom dia, Pesquisando na internet sobre os hábitos desses animais maravilhosos! Ninha*
  14. 2 points
    @SAM 3 Inhambus quase não voam por conta do tamanho das asas, elas preferem que se encolher no chão quando aparece perigo e só voam em último caso se não conseguirem despistar/escapar do predador.
  15. 2 points
    Concordo com @Ninha. Tenta arranjar logo outra parceira já q vc planeja isso
  16. 2 points
    @Malu Não foram seguidas, tiveram mais de 3 meses de descanso entre a última e essa nova postura. Com relação ao viveiro eu realmente ia fazer isso, colocar o filhote primeiro e depois os pais quando terminasse os dias de chocagem. O ovo não está galado, mas estou deixando eles chocarem pelo menos até uns 18 dias porque não quero traumatizar eles retirando o ninho do nada. Quando retirar o ninho vou colocar eles no viveiro novo e deixar o filhote na gaiola caso o macho ainda implique muito com ele. @Dôdoi Sim, o "filhote" na verdade é um jovem, tem três meses e eu acho mesmo que o estresse é porque o macho vê ele como um intruso, pois se fosse na natureza um filhote já independente estaria bem longe dos pais. Engraçado que de manhã e noite eles ficam juntinhos lado a lado como se fossem os maiores anjinhos, dormem coladinhos um no outro, mas é só descobrir a gaiola que o macho já começa a implicar com ele pra ele ir pra baixo. Mas fazer o que, meu pombinho não bate muito bem da cabeça
  17. 2 points
    A monogamia ficou no passado!!! Ou ao menos na Austrália kkk
  18. 2 points
    Vou ser bem objetivo pra ficar mais claro: NINGUÉM está dizendo pra deixar a ave presa numa gaiola minúscula o tempo todo. Se alguém quer um animal andando pela casa, compra um cachorro ou gato q sabem se virar. Se quer q aves fiquem totalmente livres, não comprem ou adquiram pra criar. Não estimule o comércio. Defenda sem hipocrisia a não criação de aves. É simples assim.
  19. 2 points
    A Vitamina D, que na verdade é um hormônio, é produzida pela exposição solar que estimula o organismo a produzir tal Vitamina. Ela é importante para vários órgãos...tanto o sistema imunológico quanto cardiovascular. Acho muito importante para os pássaros o "banho de sol" diariamente!
  20. 2 points
    Olá, os raios UV são necessários para que as aves identifiquem o sexo das outras. E o sol é fonte de uma vitamina muito importante que estimula a reprodução. Pode ser que vc consiga ter filhotes, mas tem que tomar muito cuidado, talvez possa gerar mofo, e eu tive problemas com mofo, porque começou a se espalhar no ninho, passei todo tipo de desinfetante mas não adiantou. Não sou especialista, tudo que eu digo tem como fonte pesquisas e experiência própria.
  21. 2 points
    @Pretajw Me refiro principalmente ao fato de que se você mencionar as qualidades e os benefícios de ter esse animal amado em casa, enfatizar também os cuidados que deve ter em relação a eles. Como @SAM 3 também comentou, muitas vezes é necessário deixar de fazer muita coisa por conta dos cuidados com a ave. Eu já deixei de viajar muitas vezes porque não confio em qualquer pessoa para cuidar dos meus pequenos, eu que quis comprá-los, agora é minha responsabilidade. Mas em muitos pontos concordo com você. Ninha*
  22. 2 points
    .Eu concordo, em partes! Calopsitas são frágeis e fortes ao mesmo tempo, tanto que vivem mais de 15 anos. É muito vdd que são dependentes muuuuuito. Estou a poucas semanas com a Flora e já vejo como ela se apegou a mim. O fato é que penso que cuidar delas é um ato de amor, uma vez que já foram tiradas da natureza iriam morrer sem cuidados. Agora realmente pra ter uma em casa ( assim como qq outro Pet) é necessário bom senso. Terei tempo pra cuidar? Terei recursos para arcar com alimentação, ou fiquem doentes? Tenho paciência? Enfim, perguntas realistas. Tbm não concordo em dar bicho de presente pra criança. Quando peguei a minha Flora eu tinha ciência que quem ia cuidar seria eu e meu esposo, o meu filho só acha legal mais tem medo. Eu aconselho sim pessoas a terem calopsita pois elas fazem bem e nos ensina muito sobre amar! Porém indico a pessoas que estão dispostas a receber todo esse amor e retirbuir a altura. Minha opinião!
  23. 2 points
  24. 2 points
  25. 2 points
    Kkk Eu sempre ganho um carinho do meu Zé (uma maritaca)kkk Só que o carinho dele as vezes machuca. Quando ele inventa de dar bjs com aquele bicão, não tenho escapatória kkk Juntou duas coisas que eu amo em uma só : paçoca e calopsita!
  26. 2 points
    Tenho uma dúvida sobre isso. Calopsitas são monogâmicas ou não? Se não forem, bem provável que mais pra frente formem casal de novo. Como a fêmea mais próxima dele agora é a filha, ele pode tentar formar casal com ela, mas muitas pessoas não são a favor do incesto no mundo animal. Acho que isso é mais de escolha pessoal, você pode tanto deixar ele com a filha (caso ele tente fazer ela de parceira) ou então pode tentar comprar outra companheira e separar a filha da gaiola. Se você vê que ele está melhorando, não está mais triste por conta da morte, então tudo bem. Ele pode até ficar sozinho, mas na companhia dos donos ou até de outras aves que acho que não tem problema.
  27. 2 points
    Não necessariamente. Um macho que porta lutino e cruza com fêmea lutino pérola pode ter filhotes lutinos comuns. É dificil fugir disso se o macho portar lutino pérola por exemplo.
  28. 2 points
    Vou postar aqui uma DICA IMPORTANTE PRA INTRODUZIR NOVOS ALIMENTOS. Essa dica foi da colega @Malu em outro tópico: Retire as sementes/ração deles à noite quando forem dormir e coloque os alimentos novos que elas nao estão acostumadas de manhã BEM CEDO, antes mesmo de despertarem. Deixe lá por umas 2 ou 3h. E depois volte com a sementes/ração. Pode deixar o alimento novo quando voltar com a comida antiga, mas lembrar de não deixar por mais de 6h exposto. Lembrando que é necessário paciência e persistência. Como disse anteriormente, não adianta fazer o teste por 1 ou 2 dias. Tem que ser por algumas semanas.
  29. 1 point
    A olho nu parece preto mas qndo ela se mexe e bate uma luz do sol e tal da p ver um vermelho escuro.. no reflexo do flash da cam sempre fica vermelho. Olha o zoião dela na foto (é um video q faço print)
  30. 1 point
  31. 1 point
    Eu chuto que eles serão Arlequins. E talvez tenha algum silvestre!
  32. 1 point
    Galera, Resolvi fazer um tópico "definitivo" e objetivo ao máximo sobre alimentação para calopsitas pra qnd alguém tiver uma dúvida podermos colocar o link sem termos q ficar repetindo a msm coisa todo dia. Vou postar com base na MINHA experiência e pesquisas que tenho/fiz. E claro, tds estão convidados a adicionar suas experiências. ADULTOS - RAÇÃO, SEMENTES E COMPLEMENTOS: Para quem tem dúvida se usa ração ou mix de sementes, digo que pode usar os dois - misturados ou não - ou só um ou só outro, desde que complemente com outros alimentos. EU USO MISTURADO (mix+ração da alcon ou nutropica). A proporção de ração que uso é de cerca de uns 15% a 20% para o total de sementes. Claro que você pode inverter essa proporção e usar mais ração e menos sementes. Isso vai da conveniência e do bolso de cada um. O que vou postar aqui foi a forma mais EFICIENTE que achei de dar uma boa alimentação dentro da minha realidade. Em relação ao mix de sementes: A MINHA BASE costuma ter sempre 6 sementes nas seguintes proporções: Painço 45% (os + variados possíveis); Alpiste 25%; Aveia descascada 10%; Arroz cateto 10%; Cártamo 5%; Ninger ou Girassol 5%. ALÉM desse BÁSICO acima, eu costumo adicionar entre 2% a 5% de mais algumas sementes, como por exemplo Gergelim, Senha, Sorgo, Linhaça, Nabão, Trigo Sarraceno, semente de abóbora crua ou torrada (que inclusive é vermífugo natural), entre outras. Ainda adiciono mais 5% de semente de funcho no total de Kg que essa mistura dá. Tem um cheiro agradável e evita carunchos. Lembre-se de usar a proporção, e se for adicionar outras sementes além das básicas, tire alguns porcentos da proporção das básicas e use nas demais. Complemento mais usados: Ovo cozido com casca, milho cozido (jamais enlatado), couve, coentro, quiabo, brócolis, rúcula, arroz sete grãos/branco/ lentilha (cozidos só na água), maçã sem sementes, banana com casca, mamão com sementes, osso de siba, entre outros. Você pode oferece-los um ou dois por dia, cada dia um para ter uma variação nutricional aí. Claro q não há problema se vc repetir uma vez ou outra algum alimento ou oferecer três ou quatro tipos por dia. Mas eu acho mais eficiente usar até dois a cada dia. O importante é a variação durante a semana. Se as aves não têm costume de comer alguns desses complementos (ou mesmo a ração), o segredo é insistir. Não so dois ou três dias, mas sim algumas semanas. Lembrando pra não deixar esses alimentos na gaiola/viveiro por mais de 6 ou 8h para não estragarem. Petiscos: Pode dar uma ou duas vezes na semana como pipoca (sem tempero e sal), castanhas, amendoim, pimentas p psitacídeos, entre outros. São P-E-T-I-S-C-O-S!!! Em qualquer pesquisa básica vc encontra mais alimentos que pode e não pode dar pra sua ave. Enfim. Para alimentação de adultos é basicamente isso aí. Como dispor a comida: Como tenho 4 aves, uso uma tigela de inox de +- um palmo de diâmetro em cima de uma prateleira p não haver disputas e pra diminuir o desperdício das sementes q caem da vasilha. Se sua gaiola é pequena, pode usar dois ou três potes distribuídos pela gaiola pra evitar brigas, caso tenha mais de uma ave. A água basta um potinho msm, eles bebem pouco. Trocar pelo menos uma vez por dia. Usar só água filtrada. Eu só recarrego a comida a cada 5 ou 7 dias, assim eles comem outros tipos de sementes além das que mais gostam (as primeiras a serem comidas). Sopro uma vez por dia e peneiro uma vez na semana. Você tanto pode fazer seu mix como pode já comprar pronto. Marcas como Terra dos pássaros, reino das aves, megazoo, nutropica, entre outras vendem mix prontos. Claro q as sementes e proporções não são exatas as que eu disse, mas não há problema, basta usar o bom senso e a pesquisa pra complementar da melhor forma possível, se quiser. Ultimamente tenho usado a "Mistura Agapornis Calopsita - 5 kg" da Terra dos Pássaros. Pode usar mix ou ração de outras aves? Pode, de forma esporádica, desde q vc compare o rótulo e veja se tem mais semelhanças doq diferenças (e nada proibido) para os de Calopsita. E pra encerrar essa parte SÓ COMPRE SEMENTES DE PACOTES FECHADOS. Verifique se as sementes estão limpas, brilhosas, com bom aspecto, sem muito farelo ou carunchos. JAMAIS COMPRE A GRANEL (aquelas vendidas a kg que ficam abertas e expostas nas lojas). Na reprodução: Para uma boa reprodução, as aves têm que estar com alimentação reforçada uns 2 meses antes de colocar o ninho. Pode seguir o que está acima, apenas aumentando a quantidade e variações para JAMAIS DEIXAR FALTAR COMIDA. Principalmente durante a choca e a cria dos filhotes. FILHOTES - PAPINHA Pra quem quer ou precisou criar os filhotes na papinha, vai as dicas: Eu uso papinha para psitacídeos da alcon ou reino das aves. Preparo: Coloque água MORNA num copo e dissolva o pó. O aspecto da papa tem que ficar parecido com o de um iogurte. Para testa a temperatura, mergulhe seu dedo por alguns segundos na água. Ela n pode queimar ou incomodar seu dedo. Filhotes nao gostam muito de papa fria, por isso deve ser dada um pouco morna. Pode guardar na geladeira pra dar mais tarde NO MESMO DIA, mas busque achar a quantidade certa pra cada refeição. A quantidade de papinha você pode seguir a tabela da imagem. Ajuste-a aos seus horários. Nao se alimenta filhote de madruga. Quem quer criar na papa pra amansar mais fácil, geralmente tira do ninho com 15 a 25 dias. A partir dos 30 dias, já pode colocar sementes/ração numa vasilha rasa pro filhote começar a se familiarizar com a alimentação. Filhotes largam a papinha e ficam independentes +- com 50 dias de vida. Alguns são mimados e msm depois de uns 60 dias só querem papinha. Recomendo a dar somente ao fim da tarde ou tirar totalmente se vc perceber q ele já belisca a comida. Se não tem experiência com filhotes, use uma colher para alimenta-los e depois os limpe com um pano úmido p nao ficar com papa grudada nas penas. (N há problema se ficar um pouquinho aqui ou ali). Aproveito pra mostrar como fica o banquete de sementes + ração das minhas.
  33. 1 point
    Vou deixar mais outro raciocínio aqui. Dessa vez sobre FARINHADAS: Depois de ver a composição da maioria dessas farinhadas, acho q n compensa comprar. Pois são caras e n tem lá um bom custo benéfico. Elas são basicamente uma farinha de ovo, milho, aveia e mais algumas sementes básicas, com outros elementos q existem na ração extrusada. Se vc da mix de sementes, extrusada e ovo p sua ave, é praticamente a mesma coisa.
  34. 1 point
    Eu colocaria os dois juntos e observaria. Ele deve estar sentindo falta de uma companhia, não necessariamente de uma parceira. Não creio que nesse momento ele pense em acasalamento Precisa de outra ave com quem interagir, porque não está acostumado a ficar sozinho.
  35. 1 point
    Oi se o pai for o da frente nesses filhotes não tem como saber!......e a grande maioria dos filhotes vão ser dessa cor dos q já nasceram....pode acontecer de vir algum diferente desses se os pais portarem alguma mutação q não tem como sabermos sem conhecer os pais dos pais!
  36. 1 point
    Pega elas com um pano, elas direcionam o ódio delas para o pano e não associam com a sua mão. É engraçado mas é verdade. rs Se eu entro no viveiro com um pano na mão as minhas já ficam em alerta. rs
  37. 1 point
    Olá, depende do temperamento de cada um... Os meus periquitos não ficam com as calopsitas porque eles são muito, muito agitados kkk Eles amam correr atrás das calopsitas, cantam batendo o bico (o que é estranho para as calopsitas). Vc pode aparar as asas sim. Já fiz muito isso. Hj eles ficam em viveiros (prefiro aves ariscas), e dois são para praticar voo livre.
  38. 1 point
    Olá, não sou de SP, mas tem um lugar famoso chamado Calopsitas Mansas. Qualquer dúvida procure na internet.
  39. 1 point
    Nao sei se a femea hibrida poe ovos, ninguem nunca me disse e eu nunca tive uma ..
  40. 1 point
    Olá, se o casal estiver formado é melhor comprar os dois. E também já que vc é nova, o casal é mais fácil, porque um sozinho vai fazer muito barulho e pra vc que não tem experiência poderia ser um incômodo. Vc tem que estar sempre preparada, com um dimdim reservado para consultas, pois são aves sensíveis, rações(não compre à quilo, compre embalagens fechadas, essas de casas de rações podem vir contaminadas). Idade alguns informam a idade, mas não dá pra saber. Enquanto ao sexo o proprietário poderá informar. Se ele não souber vc pode postar uma foto deles (caso compre), ou fazer exame de sexagem.
  41. 1 point
    Malu!!! Mas vc só tem aves perfeitas !!! Na minha opinião, esse pérola não apresenta arlequim no fenótipo. Talvez esteja escondida.
  42. 1 point
    Bela troca...você cuida da Flora e ela de você!!!
  43. 1 point
    Só nascem pérolas de dois pérolas...... Não tem com fugir mesmo kkkkk mas são tão lindos!
  44. 1 point
  45. 1 point
    Com respeito a Calopsita gostar mais de uma pessoa que outra, tenho a informar o seguinte: Se for macho, vai preferir mulheres para sua paixão; se for femea vai preferir homens como amigo. Tenho uma Calopsita macho com 12 anos que só gosta de mulheres, preferencialmente lourasKKK. Homens não quer nem saber, eles distingue o sexo do ser humano, impressionante. Eu o peguei com 1 mes de idade e tratei até hoje, mas ele gosta mesmo é da minha esposa. Está com ela esta com Deus.
  46. 1 point
    Acho que ainda está um pouco cedo pra colocar ninho. Espera um pouco, se continuarem acasalando direto pode colocar o ninho. Mas alguns casais acasalam mesmo, não significa que vão por ovos.
  47. 1 point
    Ixi. Desculpas, mas desse jeito não sei o que vc pode fazer. Ele parece não estar engordando. Alguma doença wue ele pode ter pego.
  48. 1 point
    Olá, filhotes lutinos e pequenos, é a realidade aqui também. Já observei que quando crescem ficam menores. Pode ser falta de algum vitamina, algo haver com a genética, fungos presentes nos pais etc. Não deixe o casal chocar de novo, senão vão ficar sobrecarregados, bater nos outros filhotes e colocar mais ovos, ficarem estressados e morrerem. Procure pelo tópico Macho ciumento, na lupa lá em cima. Lá eles falam sobre um dos meus filhotes atrasados kkk
  49. 1 point
  50. 1 point
    Bruno Sotero do Nascimento bruno.sot@hotmail.com Um dos problemas que mais me procuram pedindo ajuda desde que comecei a prestar consultoria na criação e no comportamento de calopsitas é quanto ao temido pânico noturno, que por vezes causa grandes prejuízos materiais, financeiros e psicológicos ao dono, além de é claro, o alto nível de stress e possíveis ferimentos que venham a acometer as aves nessas situações. O pânico noturno nada mais é do que a ave se assustar com algum som, movimento ou odor durante a noite. Este susto desencadeia uma agitação na ave, que busca espantar a “ameaça” batendo as asas desesperadamente (dificilmente gritam nessa situação para não chamarem ainda mais a atenção do “predador”). Por estar em um ambiente fechado (normalmente uma gaiola) esta agitação muitas vezes gera ferimentos, quebra de penas e abandono de ninho. Bem, isso a maioria das pessoas já sabe, mas porque este pânico acontece e como controlar? É muito importante entendermos como funciona a mente das aves para entendermos o porque deste pânico generalizado e como evitá-lo. Uma coisa que um proprietário de calopsitas nesta situação sempre pode notar é que o pânico noturno é uma espécie de efeito dominó na criação, ou seja, se uma ave entra no pânico, normalmente todas as outras entram junto, mesmo que não estejam vendo o que a primeira a se assustar viu. Isso se deve ao fato de as aves serem animais que vivem em bando e por viverem em bando cada uma funciona como vigia do grupo. Se uma vigia informa que viu algo o bando todo segue essa informação, independente de terem confirmado a presença deste algo ou não. Este instinto é muito importante na natureza, uma vez que centenas de olhos enxergam mais do que apenas um par, e as chances de um predador lograr êxito ao se camuflar de tantos olhos reduz drasticamente. Como bando é muito grande, todos seguem imediatamente o alerta que a ave mais próxima dá, seguindo-se assim o tal efeito dominó. Pois bem, entendido isso vamos para a explicação de porque as aves têm esse pânico noturno. Muitas pessoas têm uma visão errada do pânico noturno associando-o única e exclusivamente à noite, mas este pânico pode acontecer à luz do dia sem problema algum pois a situação de pânico não é gerada pelo fato de estar escuro, mas sim pelo fato de algo assustar a ave. Sendo assim um gato próximo à gaiola ao meio dia com sol à pino pode gerar um pânico na gaiola igual ou até pior do que os pânicos que as aves têm durante à noite. Logo é muito importante para o dono entender que o problema não está na noite, mas sim no que está gerando susto nas aves. Na natureza as aves dificilmente sofrem com PN, mesmo com o movimento das folhas das árvores, do som de predadores, trovões e etc. então porque na gaiola, um local tão mais seguro, num quarto escuro e sem barulho, elas ainda assim entram naquele desespero todo? Primeiramente temos que entender que as aves NÃO NASCERAM PARA VIVEREM EM GAIOLAS e que a gaiola nem sempre é o local que a ave considera como sendo o mais seguro. O fato de não nascerem para viverem em gaiolas não é uma crítica neste contexto, mas sim uma informação que as pessoas devem ter em mente para entender como condicionar a ave a viver em tal ambiente. Mesmo que sua ave tenha nascido em cativeiro e esteja acostumada a viver em gaiola, quando condicionamos seu habitat única e exclusivamente a esse ambiente estamos privando a ave do poder de escolha. Na natureza ela dormiria onde se sentisse mais confortável e qualquer coisa que a traumatizasse naquele local seria o suficiente para ela mudar de “abrigo” e procurar um local onde se sentisse mais segura. Muitos criadores não pensam nisso e acabam fazendo da gaiola um local onde a ave se sente insegura e têm grandes prejuízos por isso. Esta insegurança pode ser gerada por vários fatores e vou citar aqui alguns exemplos: você tem uma ave que fica numa gaiola e um belo dia você deixa essa gaiola cair com a ave dentro, ou algum animal se aproximar da gaiola e assustar a ave ou alguma criança bater nas grades da gaiola, ou alguém ficar irritando a ave forçando uma aproximação indesejada enquanto a ave está ali dentro. Todas essas situações geram na cabeça da ave o seguinte “pensamento”: “Opa, aqui é um lugar perigoso, tenho que ficar atenta porque não posso confiar que estou segura dentro desta gaiola”. Aí, o dono, que não deu muita importância para esses detalhes cobre a gaiola com um pano durante a noite e a coloca em um local alto e escuro para que a ave não se assuste. Tudo lindo né? Só que não! Eis que uma brisa leve balança o pano 2cm e pronto, inicia-se o auê naquela gaiola. E porque esse auê se iniciou? Porque a ave não se sentia confiante dentro daquela gaiola e por isso não relaxava, mantinha-se sempre em estado de alerta e qualquer mínimo movimento fez com que ela ativasse o seu modo “alerta máximo” e entrasse em pânico. Temos que lembrar que as aves nunca estão dormindo 100% se não estiverem totalmente confiantes do local onde estão. As aves possuem a capacidade de “dormirem” com apenas metade do cérebro em estado de dormência enquanto a outra metade se mantém atenta. Isso acontece quando você nota as aves dormindo com um olho aberto e outro fechado. Ela está dormindo mas não completamente. E estes 50% que permanecem acordados, ao notarem qualquer coisa que assuste a ave, podem desencadear o pânico. Esta situação de pânico é mais comum à noite (e por isso do nome pânico noturno) porque neste momento a ave está enxergando menos devido à escuridão e seus sentidos estão mais sensíveis devido ao silêncio da noite. É difícil entender isso sem uma analogia, então vou levantar aqui uma hipótese para que o leitor entenda melhor. Durante o dia ouvimos vários barulhos que nem escutamos. Como assim? O tempo todo você ouve barulhos de pássaros, carros, pessoas falando, televisores, eletrodomésticos, cães latindo, e vários outros sons ao mesmo tempo. O som está ali, você está ouvindo mas não escutando porque seu cérebro não está prestando atenção nele. Nós selecionamos o que queremos escutar de todos aqueles sons que estão entrando no nosso canal auditivo para darmos atenção somente ao que importa. Daí chega a noite e com ela vem o silêncio. Nessa situação qualquer mínimo barulho como um grilo fazendo um “cricri” baixinho na casa do vizinho já se torna perceptível pois você tem menos sons entrando e seu cérebro pára de se preocupar em filtrar os mais úteis. Em uma situação onde você se sente seguro com o que está acontecendo você não dá atenção a mínimos detalhes, já em situações novas ou temerosas seus sentidos são utilizados ao máximo, vide por exemplo o ato de dirigir. Se você está acostumado e se sente seguro no volante, o ato de ver outros carros ou pessoas passando próximas ao seu veículo se torna normal e até imperceptível. Já se você tem algum trauma, acabou de sofrer um acidente a poucos dias ou tirou carteira recentemente, cada detalhe faz adiferença e você não consegue nem conversar com o carona de tão atento que fica na direção. Tudo isso acontece com as aves. Durante a noite ela fica mais atenta e com menos sons e imagens para “camuflar” qualquer barulho ou movimento que a assuste. Ao escutar qualquer mínimo som ou ver uma sobra ou vulto se mexendo, caso não se sinta segura e confiante de que naquele local nada de mal pode lhe acontecer, ela pode se assustar e iniciar o pânico. Nossa Bruno! Muito bacana, mas então como faço para evitar o pânico noturno? Ao contrário do que muita gente pensa, cobrir a gaiola não é o que vai fazer sua ave deixar de ter crises de pânico, muito pelo contrário. Um vento balançando o pano pode desencadear a crise de forma muito mais intensa além de a ave, em meio à sua bateção de asas, poder agarrar a unha no pano e ficar pendurada aumentando ainda mais o stress e o trauma psicológico da ave. O primeiro passo para quem tem esse problema é tornar a gaiola um local onde a ave se sinta 100% segura. Ao se sentir segura, como eu já disse no exemplo, a ave passa a não entrar em alerta tão facilmente e por estar confiante ela consegue abrir mão de descansar apenas 50% do cérebro para dormir completamente durante a noite. Eu já disse em um vídeo sobre amansamento que a ave só abre mão de seus sensores de proteção (o qual o principal é a visão) se ela se sentir 100% segura. Logo ela só vai descansar e relaxar 100% (na verdade o mais próximo disso pois ela nunca está totalmente inativa) se ela sentir que nada pode ameaçá-la. Ouso dizer que 95% dos casos de pânico noturno estão relacionados a traumas ambientais, ou seja, aves que não se sentem seguras na gaiola ou cômodo onde dormem e por isso desencadeiam todo este processo que já expliquei. A regra mais básica de quem tem uma calopsita é: NUNCA TORNE A GAIOLA UM AMBIENTE TRAUMÁTICO. As pessoas devem entender que a gaiola é da ave e não do dono. Se optamos por termos aves e criá-las em cativeiro devemos ter em mente de que o habitat dela deve ser o mais seguro possível pois estamos privando-a da opção de escolha de onde viver. Se você é uma pessoa que ama demais sua ave e vez ou outra confunde razão com emoção, você deve estar pensando: “Ah, se a ave escolhendo é melhor, então vou deixar ela dormir solta no meu quarto!”. NÃO coleguinha, esse não é o caminho. As aves precisam de um porto seguro e de um local onde você vá colocá-la e saber onde ela está. Deixar ela solta na casa durante a noite vai gerar vários outros problemas muito piores que o pânico noturno como por exemplo você levantar da cama e não notar que ela está dentro do seu tênis ou embaixo do seu pé e acabar esmagando o pobre animal. Se sua ave tem pânico noturno constantemente a solução é: • reorganizar a gaiola (caso não dê para trocá-la) para que a ave se sinta em um novo ambiente; • não deixar em hipótese alguma a gaiola cair ou animais ficarem tentando predar a ave enquanto ela está presa para que a gaiola não se torne um local traumático; • deixar a gaiola sempre em locais altos onde seja mais difícil de qualquer animal ou pessoa assustar a ave • se sua ave for mansa e viver solta, solte-a se possível diariamente e em horários pré determinados deixando sempre, nesses momentos, a gaiola no chão para que a ave possa entrar e sair durante o passeio; • quando for soltar a ave NÃO TIRE-A DA GAIOLA COM A MÃO. Deixe que a ave saia sozinha quando se sentir segura; • não permita que cães e gatos se aproximem da gaiola das aves; • prenda os panos que utilizar para cobrir a gaiola com pregadores para evitar que fiquem balançando com o vento Vale ressaltar que mesmo seguindo todos os procedimentos aqui descritos pode sim acontecer de uma vez ou outra (mas muito raramente) as aves venham a ter algum ataque de pânico noturno, mas essas crises são raras e passam rápido pois acontecem quando algo de mais assustador acaba despertando as aves. Espero ter ajudado.
This leaderboard is set to Sao Paulo/GMT-03:00