Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 02/21/2020 in all areas

  1. 1 point
    Olha só meu órfão os pais não alimentaram os 2 irmãos e ele teve que ser criado desde o inicio na papa, estou com ele desde os 10 dias olha hoje Eu queria um branco com pouca marcação, mas meu kinder ovo deu surpresa, sabem que mutação é essa, obrigada!
  2. 1 point
    Bom dia Bella, Olha, primeiramente você não deve criar sua ave solta, logo logo vai vir aqui no blog contar que alguém pisou, bateu em sua ave sem querer, sua ave caiu no balde, sei lá mais o que! Ele está ficando adulto, o comportamento deles se altera quando é verão, primavera, estão querendo namorar. É normal ele não gostar de ser pego a força, ele é uma ave, sempre será uma presa. Se você acostumar sua ave na gaiola vai oferecer mais segurança e cuidado. Com o tempo ele acostuma e vai preferir ficar na gaiola inclusive mais calmo. Ninha*
  3. 1 point
    Acho que é um Cara Branca Perola.
  4. 1 point
    Não existe regra. Cada um tem sua personalidade. Se sua ave já era adulta e arisca, vai ser difícil amansar
  5. 1 point
  6. 1 point
    Bom dia, estou doando minhas duas Calopsitas, um macho e uma fêmea. Os dois são muito dóceis, porém não são casal. Ele (Bola) chegou até mim perdido e já era adulto, está comigo há 07 anos. Ela (Princesa) peguei desde bebê, tem 04 anos e é um doce! Amo muito os dois e gostaria de doar para alguém que as ame também e as tratem como filhos! Além disso, gostaria que a pessoa morasse em Casa para poder oferecer uma melhor qualidade de vida à eles, e que possua condições para arcar com despesas esporádicas e necessárias ao Veterinário. Digo isso, pois Bola já se machucou uma vez e sei o valor de exames, remédios e consultas. Vou falar um pouquinho do comportamento dos dois: Bola é uma calopsita dócil, mas tem personalidade forte, é extremamente inteligente e esperto! Deixa fazer carinho, canta, fica no colo, porém quando ele não está afim, não deixa, rs.... mas costuma avisar. É um explorador, curioso e sapeca! Esse seu jeitinho conquista á todos e normalmente é o preferido de todos que o conhecem. Princesa é um docinho e grudinho... ama os donos, mas é receosa com estranhos. Ela deixa fazer carinho, pegar, beijar, cheirar e tudo o que quiser! Hahahaha Porém ela é bastante ciumenta, o ciúme é tanto que quando assobiamos para Bola, ela fica brava e reclamando, mas o ciúme é tanto, que ela as vezes canta! Bola possui uma inteligência única, acredito que seja devido a sua linhagem, legitima. Ele é uma calopsita das mais lindas que já vi, possui um topete invejável! Ela já não é tão bonita como ele, é maior que ele e possui umas perninhas bem longas, rs. Devido a sua linhagem, ela não é uma calopsita inteligente, mas é a calopsi mais doce e dócil que já conheci. Com relação aos dois... Bola nunca se interessou por ela e por nenhuma outra calopsi, não sei se onde ele vivia antes tinha namorada. Tentamos algumas vezes colocar o ninho, mas sem sucesso, eles brigam muito! Ela até coloca ovinhos, uma vez botou 07, mas ovos não galados. No início ela tentava namorar com ele, pedir carinho, mas ele nunca quis. Depois não tentei mais, achei que as brigas estavam demais e o desgaste dela excessivo, pois chocava os ovos sozinha. Eles vivem bem juntos na gaiola, mas considero os dois irmãozinhos. rs Bom... se alguém tiver interesse e muito amor para dar, podemos conversar! Preciso de alguém que realmente trate eles como filhos, assim como eu. Obrigada! "Adeptos de uma adoção consciente. Um animal de estimação é como um filho, o que implica em responsabilidade, predisposição e vontade. Por isso, converse com as pessoas que já tenham animais, pesquise sobre o bichinho que você pretende adotar, entenda seus hábitos e tempo de vida, lembre-se que ele vai precisar de uma adaptação ao novo ambiente. Se você se sentir pronto para isso, então prepare-se para receber de volta muito amor, carinho e felicidade”. (Frase: Nayara)
  7. 1 point
    Olá pessoal... Ultimamente tenho observado pessoas que querem adquirir Calopsitas... Em apenas uma semana ouvi relatos de três pessoas que se diziam interessadas e ao serem questionadas do porquê querem esse animal, falaram que viram na internet calopsitas cantando e falando, souberam que é muito apegada ao dono, enfim... se apaixonaram, mas percebi que não tinham noção de como esse animal torna-se dependente do dono e como precisa de um tratamento diferenciado de outros animais domésticos. Foi então que decidi comentar um pouco do meu dia-a-dia com minhas duas calopsitas: - O quanto são sensíveis. Não podem ser criadas soltas, asas precisam ser aparadas; - Precisam de muito carinho e atenção; - Precisam de rotina e dedicação por parte do dono para que aprendam a cantar, falar... - Gaiola precisa ser higienizada diariamente. Precisam de banho... - Geralmente são barulhentas, na primavera então nem se fala, nem pensar em dormir até mais tarde (tenho dois e são bem barulhentos); - Podem ter pânico noturno; - No menor sinal de doença precisam ser levadas ao veterinário e uma consulta não é barato; - Se o dono viajar não pode deixa-la sozinha em casa, o melhor a fazer é levar junto ou deixar com alguém de extrema confiança, de preferência que tenha experiência com aves. Se optar por levar junto dependendo do local vai precisar de um atestado de saúde de um veterinário. - Vivem mais do que um cachorro ou gato; - Se sentem a falta de uma pessoa da família que possa ter viajado chegam a ficar doentes... etc... etc... Assim que ouviram meu relato que inclusive acabou com o comentário de que eu não terei mais calopsitas devido a responsabilidade, ficaram pensativas. Enfim, esse post tem a intenção de fazer com que proprietários de calopsitas tenham o cuidado de não incentivar a comercialização desses animais. Acredito que muitas pessoas que compram não tem a menor ideia de como eles são frágeis e precisam de cuidados, eu mesma não tinha ideia e depois de muitos erros e ainda aprendendo muito, não desejo mais ter calopsitas e olha que os amo muito. Além disso, não é raro ouvir de pais que compram uma calopsita de presente de aniversário para uma criança de 2, 5, anos, como se fossem brinquedos... aí poucos dias depois acontece algum acidente e procuram o blog para pedir opinião do que fazer... é triste! Sem contar que em pet shop e muitas agropecuárias os animais são tratados como mera mercadoria, inclusive aqui no blog já vi relatos de pessoas que acabaram comprando calopsitas mais velhas, ariscas e até mesmo doentes pois não aguentaram ver a forma como estavam sendo tratadas apenas como reprodutoras. Sei que aqui nesse blog tem pessoas que criam calopsitas para vender, não julgo, não é minha intenção difamar nada, apenas deixar claro que quem adquire deveria ter o mínimo de informação antes de decidir por comprar ou adotar um anjinho desses. Enfim... escrevi apenas com o intuito de chamar atenção para que possamos repensar a forma como estamos propagandeando esses anjinhos, (deixando claro que eu me incluo nisso). Se por um acaso mostrar uma foto ou vídeo com as qualidades da sua ave, acho importante enfatizar os cuidados que diariamente tem com ela. Me corta o coração saber que muitos são tratados como mercadorias, objetos. Não indico pra ninguém a compra de uma calopsita. Espero ter me expressado corretamente. Ninha*
  8. 1 point
    Qto ele pesa @Billy? Muito lindo ele viu! Não achei nem tão pequeno assim!
  9. 1 point
    Obrigada, era uma curiosidade mesmo. Realmente, o importante é estar saudável.
  10. 1 point
    PLANTAS TÓXICAS Exemplos de plantas com potencial venenoso. AVELÓS Família: Euphorbiaceae. Nome científico: Euphorbia tirucalli L. Nome popular: graveto-do-cão, figueira-do-diabo, dedo-do-diabo, pau-pelado, árvore de São Sebastião. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contacto com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarréia. Princípio ativo: látex irritante.SAIA-BRANCA Família: Solanaceae. Nome científico: Datura suaveolens L. Nome popular: trombeta, trombeta-de-anjo, trombeteira, cartucheira, zabumba. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: ingestão pode provocar boca seca, pele seca, taquicardia, dilatação das pupilas, rubor da face, estado de agitação, alucinação, hipertermia; nos casos mais graves pode levar a morte. Princípio ativo: alcalóides beladonados (atropina, escopolamina e hioscina).COMIGO-NINGUÉM-PODE Família: Araceae. Nome científico: Dieffenbachia picta Schott. Nome popular: aninga-do-Pará, comigo-ninguém-pode. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: ingestão contacto causam sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vómitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contacto com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea. Princípio ativo: oxalato de cálcio, saponinas.COROA-DE-CRISTO Família: Euphorbiaceae. Nome científico: Euphorbia milii L. Nome popular: coroa-de-cristo. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contacto com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarréia. Princípio ativo: látex irritante.OLEANDRO Família: Apocynaceae. Nome científico: Nerium oleander L. Nome popular: oleandro, louro rosa. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a ingestão ou o contacto com o látex podem causar dor em queimação na boca, salivação, náuseas, vómito intensos, cólicas abdominais, diarréia, tonturas e distúrbios cardíacos que podem levar a morte. Princípio ativo: glicosídeos cardiotóxicos.TAIOBA-BRAVA Família: Araceae Nome científico: Colocasia antiquorum Schott. Nome popular: cocó, taió, tajá. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a ingestão e o contacto podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vómitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contacto com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea. Princípio ativo: oxalato de cálcio.Família: Euphorbiaceae Nome científico: Euphorbia spp. Nome popular: cactus Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contacto com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarréia. Princípio ativo: látex irritante.BICO-DE-PAPAGAIO Família: Euphorbiaceae. Nome científico: Euphorbia pulcherrima Willd. Nome popular: rabo-de-arara, papagaio. Parte tóxica: todas as partes da planta. Sintomas: a seiva leitosa causa lesão na pele e mucosas, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, dor em queimação e coceira; o contacto com os olhos provoca irritação, lacrimejamento, edema das pálpebras e dificuldade de visão; a ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarréia. Princípio ativo: látex irritante.Mata-cavalo Solanum sisymbriifolium SolanaceaeMAMONA RICINO Família: Euphorbiaceae. Nome científico: Ricinus communis L. Nome popular: carrapateira, rícino, mamoeira, palma-de-cristo, carrapato. Parte tóxica: sementes. Sintomas: a ingestão das sementes mastigadas causa náuseas, vómitos, cólicas abdominais, diarréia mucosa e até sanguinolenta; nos casos mais graves podem ocorrer convulsões, coma e óbito. Princípio ativo: toxalbumina (ricina).OLHO-DE-CABRA JEQUIRITI Família: Fabaceae Nome científico: Abrus precatorius L. Nome popular: olho-de-cabra, abrina, jequiriti. Parte tóxica: sementes. Sintomas: cianose, dermatite, sementes mastigadas causa náuseas, vômitos intensos, irritação mucosa, hemorragia ocular e gastrintestinal, diarréia mucosa e sanguinolenta. Princípio ativo: abrina.COPO-DE-LEITE Família: Araceae. Nome científico: Zantedeschia aethiopica Spreng. Nome popular: copo-de-leite. Parte tóxica: todas as partes da planta Sintomatologia: a ingestão e o contacto podem causar sensação de queimação, edema (inchaço) de lábios, boca e língua, náuseas, vómitos, diarréia, salivação abundante, dificuldade de engolir e asfixia; o contacto com os olhos pode provocar irritação e lesão da córnea. Princípio ativo: oxalato de cálcio. Plantas que afetam a faringe Alocasia sp. (Orelha de elefante) Anthurium sp. (Antúrio) Caladium bicolor (Tinhorão) Monstera deliciosa (Costela de Adão) Philodendron selloum (Banana de Macaco) Philodendron sp. (Filodendro) Sanseviera trifasciata (Espada de São Jorge) Scindapsus aureus (Jibóia) Spathiphyllum spp. (Lírio da Paz) Plantas que afetam o tubo digestivo Allamanda cathartica (Alamanda) Hedera helix (Hera) Ricinus communis (Mamona) Buxus sempervirens (Buxinho) Plantas que causam distúrbio no sistema nervoso central Datura suaveolens (Saia Branca) Equisetum pyramidale (Cavalinha) Hydrangea macrophylla (Hortência) Ipomoea cairica (Ipoméia, corriola) Ipomoea hederifolia (Ipoméia, jitirama) Ipomoea purpúrea (Campainha) Nepeta cataria (Cat Nip) Nicotiana tabacum (Tabaco) Palicourea marcgravii (Erva-de-rato) Ricinus communis – folhas (Mamona) Solanum fastigiatum (Jurubeba) Solanum nigrum (Maria-pretinha) Solanum sisymbriifolium (Mata-cavalo) Plantas que afetam o funcionamento cardíaco Allamanda blanchetti (Alamanda Roxa) Allamanda cathartica (Alamanda) Asclepias curassavica (Falsa erva-de-rato) Mascagnia pubiflora (Cipó-prata) Nerium oleander (Espirradeira) Rhododendron sp. (Azaléia) Thevetia peruviana (Chapéu de Napoleão) Plantas hepatotóxicas Cestrum nocturnum (Dama-da-noite; jasmin-verde) Crotalaria micans (Guizo-de-cascavel) Senecio brasiliensis (Maria-mole) Senecio cineraria (Cinerária) Senecio mikanioides (Hera-alemã; trepadeira-senécio) Symphytum officinale (Confrei) Plantas que causam dermatite de contato Euphorbia cotinifolia (Sangue-de-boi) Euphorbia milii (Coroa-de-Cristo) Euphorbia pulcherrima (Bico-de-papagaio) Euphorbia tirucalli (Avelós; dedo-do-diabo) Ficus pumila (Unha-de-gato) Lantana camara (Cambará; camaradinha) Fonte: Site da PUC-RS, disponível em 02/07/2013
This leaderboard is set to Sao Paulo/GMT-03:00