DCM Balthazar

Lutino sexo-ligada

Recommended Posts

DCM Balthazar

A mutação Lutino surgiu nos EUA em 1958 no aviário do Sr. Cliff Barringer. Existe outra mutação lutino, só que autossômica recessiva, também conhecida como NSL, mas ela surgiu na Europa e ainda é rara, visto que é muito mais fácil criar lutinos sexo-ligados e o fenótipo é absolutamente igual.

 

A mutação lutino sexo-ligada é comum em psitacídeos e ocorre no locus "ino" do cromossomo sexual. Esse gene influencia fundamentalmente a produção de melanina, deixando o indivíduo praticamente sem o pigmento, afetando inclusive patas, bico, olhos e unhas.

 

Os olhos em específico nascem praticamente transparentes, sendo possível ver a coloração vermelha em toda sua íris e pupila, essa coloração advém do sangue que circula no olho. Conforme a ave vai amadurecendo e adquirindo idade, o olho vai gradualmente escurecendo. Isso é evidência que o lutinismo não inibe completamente a produção de melanina, porém, praticamente o faz.

 

Não é unanimidade entre os autores, porém a literatura norte-americana, em específico a Susanne Russo, sustenta a possibilidade de que a rara alteração na coloração dos olhos dos lutinos seja causada pelo fato da ave portar outras mutações. Ela inclusive, na sua obra Cockatiel Mutations A bounty of Color disponibiliza um diagrama bem didático sobre sua tese, o qual reproduzo aqui, lhe dando os devidos créditos pela criação intelectual e publicação do mesmo:

EYE-Lutino-ILLUS.jpg

Notas interessantes sobre o diagrama acima: Arlequins lutino permanecerão a vida toda com os olhos bem claros, os olhos não escurecem. Olhos verdes e âmbar estão ligados a lutino canela ou lutino pérola portadores de arlequim e/ou cara branca. Se for só lutino portador de arlequim e/ou cara branca, os olhos ficam azuis ou acinzentados. No caso dos albinos, isso também é válido somente se ele for portador de arlequim. Se for Arlequim Lutino CB, olhos ficam vermelhos.

 

Uma característica marcante do lutino é que, uma vez que a melanina é quase totalmente suprimida, evidencia-se a presença da psitacina em toda a plumagem da ave. Em ambos os sexos, a cabeça fica amarela intensa com uma marcante bochecha laranja (lembrando que o tamanho e a tonalidade da marcação da bochecha é hereditária por linhagem e não tem relação com sexo da ave). As fêmeas ficam amareladas a vida toda, sendo que os machos ficam com o corpo mais branco e com o passar da idade, devido ao aumento da produção de hormônio masculino, tendem a ficar ligeiramente canelados. Como no exemplo abaixo:

1484009_558200174255632_1649734469_o.jpg

Repare nesse macho de 1 ano e três meses que seus olhos já não são tão vermelhos, em comparação de quando era filhote. Créditos da imagem: Arquivo Pessoal, plantel pessoal.

 

Calopsitas Lutinos são susceptíveis à formação de uma careca. No entanto, isso não é uma característica essencial da mutação do gene, haja vista que outros psitacídeos lutinos não sofrem desse problema. A questão específica foi a baixa qualidade da seleção dos casais nos cruzamentos quando a mutação foi fixada. Essa característica acabou se espalhando junto com a mutação e hoje em dia já é relativamente comum encontrarmos lutinos que já tenham se livrado desse infortúnio.

 

Outro problema conhecido é em relação aos olhos. Como não produzem praticamente melanina, os olhos são muito sensíveis à luminosidade, seja do sol ou de lâmpadas artificiais. Lutinos geralmente enxergam mal em ambientes muito iluminados, se ofuscam mais facilmente que aves de outras mutações que não interfiram na melanina. Decorrente disso, existem alguns veterinários que sustentam que os lutinos são mais susceptíveis ao pânico noturno, pois ao voarem assustados de noite não enxergam o poleiro pra voltar e acabam se assustando ainda mais. Isso na verdade não é isoladamente ação do gene, mas também uma consequência da criação em cativeiro.

 

CRUZAMENTOS DESEJÁVEIS

 

O lutino combina melhor com mutações que influam na psitacina ou na padronagem das penas. O cara branca gera o indivíduo de fenótipo albino, mas também pode ser interessante cruzar com mutações como cara pálida, bochecha amarela:

Pastelface_Lutino-Pearl_Pied_h_JustCocka

Créditos da imagem: Cockatielsplusparrots.com

 

Devido a inibição da produção de melanina, a mutação lutino irá esconder os efeitos de outras mutações que influenciem a melanina, como prata dominante, fulvo e claro, o canela. No entanto, no canela temos uma situação bastante particular. Uma ave lutino canela será, desde o nascimento com o rosto amarelado, só que no corpo e em especial nas penas longas da cauda e asas, será visível um tom bem diluído de canela, praticamente igual ao do macho adulto. Aqui, novamente Susanne Russo nos ajuda com diagramas didáticos:

Cinnamon-Lutino-AREO-ILLUS.jpg

Cinnamon-Lutino-ILLUS.jpg

 

Como ambas mutações ocorrem no cromossomo sexual masculino Z e em loci muito próximos, existe uma taxa de recombinação gênica de 3%, que faz as mutações se fundirem e se tornarem uma única herança até que nova recombinação gênica ocorra. Esse é o conhecido como "Lacewings"

 

O cruzamento com a mutação de padrão primário pérola também é bastante interessante, pois essa combinação evidencia ainda mais a psitacina presente na plumagem da ave.

 

Outro cruzamento que em tese não seria interessante, mas na prática é, se faz com aves arlequins. A mutação arlequim recessivo tem como uma de suas marcantes características, a produção de efeitos anti-dimorfismo sexual, ou seja, a mutação embaralha o dimorfismo sexual da ave (depois eu explico isso melhor no tópico dos Arlequins). Isso tem como resultado também a intensificação da psitacina nas penas.

 

Tendo isso em mente, quem quiser ter lutinos BEM amarelos, deve conjugar essas três mutações: Lutino, Arlequim e Pérola.

 

Outro cruzamento muito desejável que merece maiores comentários é com cara branca. Resulta no famoso albino, a ave branca, sem pigmentação alguma, seja de psitacina, seja de melanina. Vale lembrar que o albino ainda é um lutino, e portanto, sujeito aos mesmos problemas (carecas, dificuldades visuais).

 

Referências bibliográficas:
MARTIN, Dr. Terry; ANDERSEN, Diana. A guide to cockatiels and their mutations as pet & aviary birds. Revised ed. South Tweed Heads: Australian Birdkeeper Publications, 2007.

RUSSO, Susanne. Cockatiel Mutations A Bount of Color. 2012. ed. Fort Lauderdale: Amazon Kindle, 2001.

  • Gostei 15

Share this post


Link to post
Share on other sites
rodrygosanchik

boa tarde 

se eu acasalar uma lutina com um albino e aconslhavel?

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
pedroC

Aproveitando a pergunta, como fica esse casal abaixo:

Exemplo, se tenho um macho lutino e uma fêmea arlequim, mas a fêmea é toda amarela, porem com as costas manchadas como a foto abaixo (acredito q se chama de "arlequim de fundo amarelo"). Ela seria uma lutino arlequim?

E os filhotes machos desse casal, seriam lutino portadores de arlequim ou cinza silvestre portadores de lutino e arlequim?

O q eu quero entender, é se eu interpreto uma calopsita igual essa da foto como lutino arlequim ou só arlequim? Pq se for só arlequim, sei q os filhotes machos serão cinza silvestres portadores de lutino e arlequim.

IMG-20160115-WA0038.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites
DCM Balthazar
Em 29/01/2016 at 13:30, rodrygosanchik disse:

boa tarde 

se eu acasalar uma lutina com um albino e aconslhavel?

 

Lembre-se que o albino é um lutino cara branca, portanto você terá o cruzamento entre dois lutinos. Isso torna mais propenso o aparecimento de filhotes carecas e possivelmente com porte menor, além de ter pouca variabilidade genética na prole. No entanto, nada impede.

Em 29/01/2016 at 13:41, pedroC disse:

Aproveitando a pergunta, como fica esse casal abaixo:

Exemplo, se tenho um macho lutino e uma fêmea arlequim, mas a fêmea é toda amarela, porem com as costas manchadas como a foto abaixo (acredito q se chama de "arlequim de fundo amarelo"). Ela seria uma lutino arlequim?

E os filhotes machos desse casal, seriam lutino portadores de arlequim ou cinza silvestre portadores de lutino e arlequim?

O q eu quero entender, é se eu interpreto uma calopsita igual essa da foto como lutino arlequim ou só arlequim? Pq se for só arlequim, sei q os filhotes machos serão cinza silvestres portadores de lutino e arlequim.

IMG-20160115-WA0038.jpg

Essa ave da foto é um heavy arlequim. Essa ave não tem nada de lutino, a menos que seja um macho e eventualmente pode ser um portador. Não há, na aparência dela, nenhum traço de lutino.

  • Gostei 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
zebs

Boa tarde,

Tenho tentado procurar saber como se pode tirar machos lutinos, mas nao encontro resposta...

Alguém me poderá dizer as opções das mutações dos pais para ter filhote macho lutino?

ou Alguém me pode aconselhar um livro sobre isso?

abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites
NathanMR
8 minutos atrás, zebs disse:

Boa tarde,

Tenho tentado procurar saber como se pode tirar machos lutinos, mas nao encontro resposta...

Alguém me poderá dizer as opções das mutações dos pais para ter filhote macho lutino?

ou Alguém me pode aconselhar um livro sobre isso?

abraço!

Cruzando dois lutinos, ou uma lutino e um macho portador de lutino.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Shenna

Lutinos cara branca com olhos azuis são realmente portadores de arlequim? E um macho Silvestre com manchas na nuca filho de um lutino cara branca e uma femea canela com as mesmas mancha na nuca,  o que ele porta?

Edited by cilene1234

Share this post


Link to post
Share on other sites
DCM Balthazar

Abra um tópico com fotos da sua ave, Cilene, fica mais fácil.

Share this post


Link to post
Share on other sites
DCM Balthazar

Pessoal, peço a compreensão de vocês para deixar esse tópico para dúvidas sobre a mutação em si.

Dúvidas sobre classificação da sua ave, possíveis cruzamentos e filhotes, abram tópicos individuais, com fotos das aves.

Obrigado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
AlineLima

Olá, @DCM Balthazar!

Adoro seus textos, mesmo eles me deixando super confusa no final da leitura! rsrs
Uma hora eu pego o jeito com a genética.. mas até lá, eu te perturbo! rsrs

Em 09/04/2015 at 21:41, DCM Balthazar disse:

Os olhos em específico nascem praticamente transparentes, sendo possível ver a coloração vermelha em toda sua íris e pupila, essa coloração advém do sangue que circula no olho. [...] a rara alteração na coloração dos olhos dos lutinos seja causada pelo fato da ave portar outras mutações... 

EYE-Lutino-ILLUS.jpg

É possível ter apenas a íris vermelha em um recém nascido e indicar que ele é/porta lutino? E em ave adulta, em relação às outras mutações, há algo no fenótipo que indique que porta lutino? 

 

Em 03/02/2016 at 08:24, DCM Balthazar disse:
Em 29/01/2016 at 13:41, pedroC disse:

IMG-20160115-WA0038.jpg

Essa ave da foto é um heavy arlequim. Essa ave não tem nada de lutino, a menos que seja um macho e eventualmente pode ser um portador. Não há, na aparência dela, nenhum traço de lutino.

Porque não é considerado Lutino Arlequim? Qual seria a mutação "base" dessa ave?
Você disse: "Uma característica marcante do lutino é que, uma vez que a melanina é quase totalmente suprimida, evidencia-se a presença da psitacina em toda a plumagem da ave." Sabendo que a psitacina gera cores que vão do amarelo ao laranja, mesmo em uma ave arlequim como essa da foto, o cinza do espécime em questão não deveria existir para que fosse considerado um lutino, é isso?

Você também disse: "Uma ave lutino canela será, desde o nascimento com o rosto amarelado, só que no corpo e em especial nas penas longas da cauda e asas, será visível um tom bem diluído de canela". Esse trecho me fez criar expectativas de como será a minha netinha. Ainda não tem nenhum pena, mas como ela tem olhos vermelho cereja, já me adiantaram que ela é uma Lutino daí imaginei que pudesse sair bem diferente da mãe (mãe Arlequim Pérola Canela e pai CB Pérola Cinza/INO e Canela), porém o trecho seguinte me deixou super confusa: "Tendo isso em mente, quem quiser ter lutinos BEM amarelos, deve conjugar essas três mutações: Lutino, Arlequim e Pérola." Como o canela entraria (geneticamente falando) nessa história? O espécime continua super amarelo mas contrastando com o canela diluído nas asas, é isso? No caso, a filhote é fêmea e será igual a mãe porém com a única diferença de ter olhos vermelhos que se manterão vermelhos na fase adulta pelo fato dela ser arlequim?

Outra coisa, nesse caso, por exemplo, qual seria a cor dos olhos desse filhote quando adulto, considerando que tenha mesmo herdado o canela e seja uma fêmea arlequim pérola canela/cb ou, em situação hipotética, macho arlequim pérola canela/ino e cb?

  • Gostei 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
AlineLima
Em 2017-4-26 at 23:09, AlineLima disse:

Olá, @DCM Balthazar!

Adoro seus textos, mesmo eles me deixando super confusa no final da leitura! rsrs
Uma hora eu pego o jeito com a genética.. mas até lá, eu te perturbo! rsrs

É possível ter apenas a íris vermelha em um recém nascido e indicar que ele é/porta lutino? E em ave adulta, em relação às outras mutações, há algo no fenótipo que indique que porta lutino? 

 

Porque não é considerado Lutino Arlequim? Qual seria a mutação "base" dessa ave?
Você disse: "Uma característica marcante do lutino é que, uma vez que a melanina é quase totalmente suprimida, evidencia-se a presença da psitacina em toda a plumagem da ave." Sabendo que a psitacina gera cores que vão do amarelo ao laranja, mesmo em uma ave arlequim como essa da foto, o cinza do espécime em questão não deveria existir para que fosse considerado um lutino, é isso?

Você também disse: "Uma ave lutino canela será, desde o nascimento com o rosto amarelado, só que no corpo e em especial nas penas longas da cauda e asas, será visível um tom bem diluído de canela". Esse trecho me fez criar expectativas de como será a minha netinha. Ainda não tem nenhum pena, mas como ela tem olhos vermelho cereja, já me adiantaram que ela é uma Lutino daí imaginei que pudesse sair bem diferente da mãe (mãe Arlequim Pérola Canela e pai CB Pérola Cinza/INO e Canela), porém o trecho seguinte me deixou super confusa: "Tendo isso em mente, quem quiser ter lutinos BEM amarelos, deve conjugar essas três mutações: Lutino, Arlequim e Pérola." Como o canela entraria (geneticamente falando) nessa história? O espécime continua super amarelo mas contrastando com o canela diluído nas asas, é isso? No caso, a filhote é fêmea e será igual a mãe porém com a única diferença de ter olhos vermelhos que se manterão vermelhos na fase adulta pelo fato dela ser arlequim?

Outra coisa, nesse caso, por exemplo, qual seria a cor dos olhos desse filhote quando adulto, considerando que tenha mesmo herdado o canela e seja uma fêmea arlequim pérola canela/cb ou, em situação hipotética, macho arlequim pérola canela/ino e cb?

@Guilherme Carli, vi que o DCM está afastado há algum tempo do fórum. Você consegue me ajudar com as dúvidas desse post?

Share this post


Link to post
Share on other sites
DCM Balthazar
Em 2017-4-26 at 23:09, AlineLima disse:

Olá, @DCM Balthazar!

Adoro seus textos, mesmo eles me deixando super confusa no final da leitura! rsrs
Uma hora eu pego o jeito com a genética.. mas até lá, eu te perturbo! rsrs

É possível ter apenas a íris vermelha em um recém nascido e indicar que ele é/porta lutino? E em ave adulta, em relação às outras mutações, há algo no fenótipo que indique que porta lutino? 

 

Porque não é considerado Lutino Arlequim? Qual seria a mutação "base" dessa ave?
Você disse: "Uma característica marcante do lutino é que, uma vez que a melanina é quase totalmente suprimida, evidencia-se a presença da psitacina em toda a plumagem da ave." Sabendo que a psitacina gera cores que vão do amarelo ao laranja, mesmo em uma ave arlequim como essa da foto, o cinza do espécime em questão não deveria existir para que fosse considerado um lutino, é isso?

Você também disse: "Uma ave lutino canela será, desde o nascimento com o rosto amarelado, só que no corpo e em especial nas penas longas da cauda e asas, será visível um tom bem diluído de canela". Esse trecho me fez criar expectativas de como será a minha netinha. Ainda não tem nenhum pena, mas como ela tem olhos vermelho cereja, já me adiantaram que ela é uma Lutino daí imaginei que pudesse sair bem diferente da mãe (mãe Arlequim Pérola Canela e pai CB Pérola Cinza/INO e Canela), porém o trecho seguinte me deixou super confusa: "Tendo isso em mente, quem quiser ter lutinos BEM amarelos, deve conjugar essas três mutações: Lutino, Arlequim e Pérola." Como o canela entraria (geneticamente falando) nessa história? O espécime continua super amarelo mas contrastando com o canela diluído nas asas, é isso? No caso, a filhote é fêmea e será igual a mãe porém com a única diferença de ter olhos vermelhos que se manterão vermelhos na fase adulta pelo fato dela ser arlequim?

Outra coisa, nesse caso, por exemplo, qual seria a cor dos olhos desse filhote quando adulto, considerando que tenha mesmo herdado o canela e seja uma fêmea arlequim pérola canela/cb ou, em situação hipotética, macho arlequim pérola canela/ino e cb?

Olá Aline, desculpe a demora em responder.

Realmente meu trabalho e minha saúde não tem me dado o tempo necessário para participar do fórum como antigamente, mas enfim, vou tentar te responder dentro daquilo que sei.

Os olhos dos recém nascidos geralmente são bem claros mesmo. Ter a íris vermelha não é um indicativo confiável de que ele porte lutino. Em filhotes de olhos ainda fechados, se a íris for clara e o entorno for escuro, é forte indicativo que se trata de um filhote canela. Lembre-se, filhotes lutinos de olhos fechados parecem não ter olhos. Estamos falando de filhotes com menos de 5 dias de vida...

 

Misturar lutino e arlequim faria com que a ave apresentasse o lutino predominantemente e as manchas do arlequim seriam brancas, jamais cinza. Um lutino jamais terá melanina pra deixar as penas cinzas.

Lutinos bem amarelos não possuem relação com canela. A variação da intensidade do amarelo é imprevisível, mas ditada por essas 3 mutações que eu citei. Se esse filhote for canela, ele vai parecer bastante com um fulvo bronze. Os olhos dele adulto serão avermelhados, mas principalmente nos machos tende a escurecer. O diagrama que eu postei na primeira indica as possibilidades de variação na tonalidade dos olhos dos adultos, no entanto, NEM SEMPRE essa variação acontece.

Mais dúvidas sobre suas aves em específico, recomendo que abra um post individual para elas.
 

Obrigado.

  • Gostei 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.