DCM Balthazar

Artigo: Simbióticos/Prebióticos/Probióticos

Recommended Posts

DCM Balthazar

Termo empregado para a associação de Prebióticos e Probióticos na alimentação de aves.
Fonte: Adaptado de Corrier et al. Avian Dis. 1991.

O que são Simbióticos?
Termo empregado para a associação de Prebióticos e Probióticos na alimentação de aves.

O que são Prebióticos?

O termo Prebiótico foi empregado por Gibson & Roberfroid em 1995 (J. Nut.) para designar "Ingredientes nutricionais não digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro estimulando seletivamente o crescimento e atividade de uma ou mais bactérias benéficas do cólon, melhorando a saúde do seu hospedeiro".
A principal ação dos Prebióticos é estimular o crescimento e/ou ativar o metabolismo de algumgrupo de bactérias benéficas do trato intestinal. Desta maneira, os Prebióticos agem intimamente relacionados aos Probióticos; constituem o "alimento" das bactérias probióticas.

O uso de produtos denominados Prebióticos em associação como os Probióticos apresentaações benéficas superiores aos antibióticos promotores de crescimento, notadamente, não induzindo o desenvolvimento de resistência às drogas, por serem produtos essencialmente naturais.

Características gerais dos Prebióticos:

Não devem ser metabolizados ou absorvidos durante a sua passagem pelo trato digestivo superior;
Devem servir como substrato a uma ou mais bactérias intestinais benéficas (estas serãoestimuladas a crescer e/ou tornarem-se metabolicamente ativas);
Possuir a capacidade de alterar a microbiota intestinal de maneira favorável à saúde dohospedeiro;

Devem induzir efeitos benéficos sistêmicos ou na luz intestinal do hospedeiro.

Substâncias Prebióticas.

Alguns açúcares absorvíveis ou não, fibras, álcoois de açúcares e oligossacarídeos estão dentrodeste conceito de prebióticos. Destes, os oligossacarídeos - cadeias curtas de polissacarídeos compostos de três a 10 açúcares simples ligados entre si - tem recebido mais atenção pelas inúmeras propriedades prebióticas atribuídas a eles.

Os frutoligossacarídeos são polissacarídeos que têm demonstrado excelentes efeitos prebióticos,"alimentando", seletivamente, algumas espécies de Lactobacillus e Bifidobacterium e, desta maneira, reduzindo a quantidade de outras bactérias como Bacteroides, Clostridium e coliformes.

Arabinose, galactose, manose e, principalmente, lactose, são outros carboidratos utilizados com efeito Prebiótico em aves. Lactose adicionada à ração, juntamente com Probiótico, reduz a colonização por salmonelas.

Fontes de oligossacarídeos.

Os Prebióticos podem ser obtidos na forma natural em sementes e raízes de alguns vegetais comoa chicória, cebola, alho, alcachofra, aspargo, cevada, centeio, grãos de soja, grão-de-bico e tremoço. Também, podem ser extraídos por cozimento ou através de ação enzimática ou alcóolica. Há, também, os oligossacarídeos sintéticos obtidos através da polimerização direta de alguns dissacarídeos da parede celular de leveduras ou fermentação de polissacarídeos. Os oligossacarídeos sintéticos têm apresentado melhores resultados.

Como agem os Prebióticos

Como já mencionado, as substâncias prebióticas agem alimentando e estimulando o crescimento de diversas bactérias intestinais benéficas, cujos metabólicos atuam, também, reduzindo o pH através do aumento da quantidade de ácidos orgânicos presentes nos cecos. Por outro lado, atuam bloqueando os sítios de aderência (principalmente a D-Manose), imobilizando e reduzindo a capacidade de fixação de algumas bactérias patogênicas na mucosa intestinal. Especula-se queos oligossacarídeos possam atuar, também, estimulando o sistema imunológico, através da redução indireta da translocação intestinal por patógenos, que determinariam infecções após atingir a corrente sangüínea.

Modernamente, a arrancada para o uso dos Probióticos no controle da infeção de aves porsalmonelas foi dada por um trabalho realizado por pesquisadores Finlandeses (Nurmi & Rantala, Nature, 1973). Em seus experimentos, os autores observaram que o conteúdo intestinal de aves adultas normais, administrado oralmente às aves com um dia de idade, alterava sua sensibilidade à infeção por Salmonella spp., prevenindo o estabelecimento desta no intestino. Esta idéia foi conceituada como "Exclusão Competitiva" e, tornou-se conhecida como o "conceito de Nurmi". A colonização intestinal por outros patógenos como Escherichia coli e Campylobacter spp., também, pode ser prevenida pelos Probióticos
As técnicas modernas de criação de pássaros exigem um ambiente inicial com uma qualidadebacteriológica da água, farinhadas, misturas de sementes e rações que dificultam e retardam o estabelecimento de uma microbiota intestinal - não poderia ser diferente, devido aos seus riscos potenciais. Contudo, em condições normais, a natureza tem nos ensinado que os filhotes tem contato, imediatamente ao nascer, com as fezes da mãe. Isto não acontece por acaso. As fezes das"mães” contém elementos extremamente importantes na imunoproteção, estímulo ao desenvolvimento e funcionamento do trato digestivo dos ninhegos.

Probióticos e Prebióticos representam um avanço tecnológico, incrementando os efeitos benéficos propiciados pela natureza e aplicando-os às criações tecnificadas.

Microbiota intestinal de aves
A microbiota intestinal das aves é composta de inúmeras espécies bacterianas, formando um sistema complexo e dinâmico. Aquelas que colonizam o trato intestinal no início, tendem a persistir ao longo da vida da ave, passando a compor a microbiota intestinal. A formação desta microbiota tem início imediatamente após o nascimento das aves e aumenta durante as primeiras semanas de vida, até se tornar uma população predominantemente de bactérias anaeróbias.
Os principais gêneros identificados na microbiota cecal de aves são: Bacillus, Bacteroides, Bifidobacterium, Citrobacter, Clostridium, Enterobacter, Enterococcus, Escherichia, Eubacterium, Fusobacterium, Lactobacillus, Lactococcus, Pediococcus, Peptostreptococcus, Propionibacterium, Ruminococcus, Serratia, Veillonella e Streptococcus.
A persistência e manutenção destas bactérias no trato intestinal se faz de duas formasprincipais:
-fixadas ou em íntima associação com o epitélio intestinal, se multiplicando mais rapidamentedo que sua eliminação pelo peristaltismo intestinal. É o caso típico de algumas espécies de Lactobacillus e Enterococcus.
-livres, na luz intestinal, pela sua incapacidade de aderir ao epitélio intestinal. Neste caso,sua permanência se dá pela agregação a outras bactérias, que por sua vez estão aderidas à mucosa entérica.
Qualquer fator que leve ao desequilíbrio da microbiota intestinal, como o uso de antimicrobianos e estresse de qualquer natureza, poderá permitir a instalação e a multiplicação de microrganismos patogênicos. Logo, fica evidente que o equilíbrio da microbiota intestinal, reflete diretamente em um bom estado de saúde do hospedeiro.
Ação de bactérias benéficas e prejudiciais no trato digestivo:
- Bactérias benéficas
Inibição do crescimento de bactérias patogênicas;
Estímulo às funções do sistema imunológico;
Redução na distensão por gases;
Melhor digestão e absorção de nutrientes essenciais;
Síntese de vitaminas
Bactérias prejudiciais

Diarréia;
Infeções, Danos hepáticos;
Carcinogênese;
Putrefação intestinal

O que são Probióticos?
O termo Probiótico foi proposto, pela primeira vez em 1965. Atualmente, utiliza-se o termo Probiótico para designar suplemento alimentar composto de cultura pura ou composta de microrganismos vivos com a capacidade de se instalar e proliferar no trato intestinal, com ação de promotores de crescimento, beneficiando a saúde do hospedeiro pelo estímulo às propriedades existentes na microbiota natural.
Os Probióticos podem conter bactérias totalmente conhecidas e quantificadas ou, culturas bacterianas não definidas. Enterococcus, Bacteroides, Eubacterium e especialmente Lactobacillus e Bifidobacterium estão presentes em todas as misturas de culturas definidas. Quando as bactérias, com capacidade Probiótica, são retiradas (isoladas) do seu habitat convencional e subcultivadas e/ou liofilizadas, algumas das suas propriedades são perdidas. Por outro lado, não se conhece, ainda, nem a composição total, nem a perfeita combinação entre elas, que melhor estimula as propriedades Probióticas "in vivo".
Estas são as razões, pelas quais, os produtos com culturas não definidas ou, fezes frescas, tem melhor ação Probiótica que as culturas definidas.
Aparentemente, um número maior de espécies bacterianas determina um Probiótico mais efetivo.Só, a partir de quatro espécies de bactérias é que se evidencia alguma proteção. Nas misturas contendo mais de 20 espécies, a proteção tende a ser mais efetiva.
A ação benéfica dos Probióticos de usados na criação de pássaros em cativeiro está na reduçãoda colonização intestinal por alguns patógenos, como as salmonelas, p.ex.
Propriedades desejáveis de um Probiótico:
Possa ser estocado e com sua viabilidade mantida até o momento de uso; Tenha condições depermanecer no ecossistema intestinal; Hospedeiro animal seja beneficiado pelo seu uso.
Como agem os Probióticos: Várias ações benéficas são atribuídas ao uso dos Probióticos.
Entre os principais modos de ação dos Probióticos, estão descritos:
(a) Competição por sítios de ligação;
( b ) Produção de substâncias antibacterianas;
( c ) Competição por nutrientes;
(d) Estímulo do sistema imunológico.
Sabe-se que há um sinergismo entre estas ações.
a. Competição por sítios de ligação. Este conceito ficou conhecido, também, com o nome de "Exclusão Competitiva". As bactérias dos Probióticos ocupam dos sítios de ligação (receptores ou pontos de ligação) na mucosa intestinal formando uma barreira física às bactérias patogênicas. Assim, desta maneira, as bactérias patogênicas seriam excluídas pela competição.
b. Produção de substâncias antibacterianas. Bactérias dos Probióticos produzem compostos como as bacteriocinas, ácidos orgânicos - ácidos graxos voláteis de cadeia curta (propiônico, acético, butírico, láctico) e peróxido de hidrogênio, que têm ação antibacteriana, especialmente, em relação às bactérias patogênicas. As bactérias dos Probióticos se nutrem de ingredientes que não foram total ou parcialmente degradados pelas enzimas digestivas normais ou, foram intencionalmente adicionados à dieta. Estas substâncias, intencionalmente adicionadas, com a finalidade de "alimentar" as bactérias dos Probióticos, são os citados prebióticos.
Ações benéficas atribuídas ao uso de Probióticos
-Auxílio na digestão e absorção de nutrientes (envolvimento na bioquímica intestinal, especialmente em relação a ação sobre os sais biliares);
-Ação inibitória no crescimento de bactérias patogênicas (produção de bacteriocinas que ageminibindo o crescimento de outras bactérias);
-Produção de lactato e acetato que reduzem o pH do meio, exercendo efeito antibacteriano;
-Produção de metabólitos que inibem bactérias Gram negativas e positivas patogênicas;
-Produção de vitaminas do grupo B;
-Estímulo do sistema imunológico através da ativação dos macrófagos;
-Ativação do sistema imunológico contra células malignas;
-Restauração da microbiota intestinal após antibioticoterapia.
c. Competição por nutrientes. A escassez de nutrientes disponíveis no trato intestinal que possam ser metabolizados pelas bactérias patogênicas é um fator limitante de manutenção das mesmas neste ambiente.
d. Estímulo do sistema imunológico. A defesa imunológica do hospedeiro está diretamente relacionada com a microbiota intestinal. Um animal ou homem, simplesmente, não consegue sobreviver se não desenvolver uma microbiota intestinal normal.

Algumas bactérias dos Probióticos estão diretamente relacionadas com o estímulo da resposta imunológica, através do aumento da produção de anticorpos, ativação de macrófagos, proliferação de células T e produção de interferon, entre outros.
Como aplicar os Probióticos:
A via de administração dos Probióticos pode, também, determinar uma melhor ou pior capacidade de colonização intestinal pelas bactérias presentes no produto utilizado. Independente da via, os Probióticos devem ser administrados às aves o mais precocemente possível, a fim de que as bactérias presentes no produto, colonizem e se multipliquem no trato intestinal do hospedeiro, iniciando suas atividades benéficas antes deste ser contaminado por algum patógeno.
Os Probióticos podem ser administrados aos pássaros de várias maneiras:
-Inoculação via cloaca;
-Adicionados às papas e farinhadas (melhor)
-Adicionado às rações;
-Pela adição em água de bebida;
-Pulverização sobre os ninhos;

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest
This topic is now closed to further replies.