Jump to content

Artigo: Postura Crônica


DCM Balthazar
 Share

Recommended Posts

Todo o ciclo de produção e da postura dos ovos é algo magnífico. A fêmea utiliza suas reservas de proteína, cálcio e minerais não tão somente para a "fabricação" do ovo, como também para se manter durante esse fase.
Esse ciclo é estimulado por diversos fatores :

--> duração do dia,
--> disponibilidade de alimento,
--> desejo de acasalar,
--> época de chuvas (umidade), e outros fatores.

Importante saber: para que os ovos sejam postos não é necessário que a fêmea tenha sido anteriormente copulada, isto é, não é necessário que ela esteja com um macho.
A casca de um ovo é feita principalmente de cálcio. O cálcio é proveniente das reservas do organismo da fêmea. Os ossos e músculos fornecem quase que todo o cálcio necessário para a casca do ovo. As reservas de cálcio, portanto, precisam ser repostas para que o organismo possa continuar a funcionar normalmente, atuando na construção de ossos fortes e nas contrações dos músculos. Quando ocorre a postura crônica de ovos, as reservas de cálcio tendem a esgotar-se. Esta condição é conhecida como hipocalcemia. Quanto menos reserva de cálcio, mais tempo a fêmea leva para formar e expelir o ovo.
O problema mais comum na postura das fêmeas associado com a hipocalcemia, é o "ovo atravessado/ovo preso", isto é, a fêmea não consegue expelir o ovo, ou fica debilitada e demora para expelir o ovo. Com a baixa reserva de cálcio, os músculos uterinos são incapazes de contrair e empurrar o ovo para fora do corpo, e pode fragilizar a estrutura dos ossos também. Outros causas para o ovo preso: Fatores ambientais e de ordem genética, bem como alimentação inadequada.
Algumas espécies são mais propensas a postura crônica de ovos, dentre elas as calopsitas, agapornis e periquitos.
É importante prevenir o excesso de postura, pois irá trazer problemas de saúde à ave, com algumas medidas:

- O principal fator para prevenção está relacionada à nutrição. A alimentação da ave deve ser baseada numa dieta completa e balanceada. Ofereça não apenas sementes, mas também rações que visam complementar e corrigir a deficiência dos nutrientes. Cálcio, vitamina A, vitamina D e aminoácidos são essenciais para a absorção do cálcio pelo organismo e pela sua própria utilização.
- A próxima etapa é sua ave ser examinada por um veterinário, incluíndo um verdadeiro check up: exames de fezes, de sangue, etc.
- Tendo em vista que a luz natural ajuda na liberação dos hormônios que induzem ao ciclo reprodutivo, o próximo passo é reduzir a quantidade de horas diárias de luz natural que a ave recebe durante o dia (entre 8 a 10 horas diárias de luz natural por dia), mudando a gaiola para um local menos claro ou cobrindo-a com um pano.
- Mudar a gaiola para um novo ambiente da casa, mudando de local os brinquedos, os potes, etc, também ajuda.

Mesmo tomando todas essas providências, a fêmea pode vir ou continuar a botar ovos. O melhor a fazer é deixar a fêmea terminar a postura de todos os ovos, mesmo que não tenham sido galados, pois dessa maneira, ela teria saciado o desejo de procriar. Depois deste prazo, retira-se um ovo por dia e após o último dê um banho na ave (para retirar o "choco") e retira-se o ninho. Podemos diminuir bem a alimentação, isto é, fornecemos uma boa qualidade de alimento mas não em abundância para não estimular uma nova postura. Dessa forma, a fêmea naturalmente completaria o ciclo de postura.

Portanto, os ovos não devem ser jogados fora a medida que forem postos, pois à medida que se retira um ovo, a fêmea põe um novo ovo para repor aquele que foi retirado.

Finalmente, remover tudo o que possa estimular a ave a criar: ninhos ou objetos que tenham essa característica, inclusive lugares dentro da casa que a ave possa se instalar (caixas, ambientes escuros como a parte debaixo da cama, de armários, etc.), brinquedos ou objetos que a ave os use para simular acasalamento.
Uma medida muito importante: forneça ossos de siba, bloco de cálcio e areia à ave! Não é recomendado fornecer nenhum suplemento a base de cálcio, já que o cálcio sozinho não irá fazer com que a ave não tenha problemas de ovo sem casca, ovo preso, etc e sim o equilíbrio cálcio/fósforo, portanto, se houver necessidade consulte um veterinário especializado de sua confiança.
 

Materia editada com alterações retirada do grupo Calopsitas e publicado no grupo Cuidando de calopsitas. Publicação gentilmente autorizada pelo Sr. Paulo Porto.

Link to comment
Share on other sites

Guest
This topic is now closed to further replies.
 Share

×
×
  • Create New...